segunda-feira, 10 de agosto de 2015

O voo da libélula



Livro: O voo da libélula
Autor(a): Michel Bussi
Editora: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-366-3
Ano: 2015
Páginas: 400
Classificação: Romance policial, Suspense, Literatura estrangeira


Sinopse:

Agraciado com 4 prêmios na França, entre os quais o Prix Maison de la Presse e o Prix du Roman Populaire, O voo da libélula teve seus direitos vendidos para 25 países e ganhará uma adaptação cinematográfica.

Na noite de 23 de dezembro de 1980, um avião cai na fronteira entre a França e a Suíça, deixando apenas uma sobrevivente: uma bebê de 3 meses. Porém, havia duas meninas no voo, e cria-se o embate entre duas famílias, uma rica e uma pobre, pelo reconhecimento da paternidade.

Numa época em que não existiam exames de DNA, o julgamento estende-se por muito tempo, mobilizando todo o país. Seria a menina Lyse-Rose ou Émilie? Mesmo após o veredicto do tribunal, ainda pairam muitas dúvidas sobre o caso, e uma das famílias resolve contratar Crédule Grand-Duc, um detetive particular, para descobrir a verdade.

Dezoito anos depois, destroçado pelo fracasso e no limite entre a loucura e a lucidez, Grand-Duc envia o diário das investigações para a sobrevivente Lylie e decide tirar a própria vida. No momento em que vai puxar o gatilho, o detetive descobre um segredo que muda tudo. Porém, antes que possa revelar a solução do caso, ele é assassinado.

Após ler o diário, Lylie fica transtornada e desaparece, deixando o caderno com seu irmão, que precisará usar toda a sua inteligência para resolver um mistério cheio de camadas e reviravoltas.

Em O voo da libélula, o leitor é guiado pela escrita do detetive enquanto acompanha a angustiada busca de uma garota por sua identidade. 


Minha opinião

Um mistério extremamente envolvente!

A narrativa inicia no momento do acidente do avião, nos deixando perplexos e aterrorizados por tamanha tragédia. Mas o que pega mesmo, é o quanto o destino de duas famílias é alterada, por conta deste acidente.

Mas, entre idas e vindas, ele se torna um pouco cansativo, e sempre induzindo a direcionar o pensamento em favor de um lado, às vezes de outro, e mantendo sempre a dúvida pairando no ar.  Não posso descrever muito mais, sem estragar o final do livro, que surpreende, mas também nos deixa com a sensação de estar entre a cruz e a espada ... afinal, por que tanto sofrimento?  Até que ponto iríamos, para salvar e defender uma vida?

Recomendo para quem gosta do gênero.

Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário