domingo, 15 de junho de 2014

Divergente

Livro: Divergente
Série Divergente - livro 1
Autora: Veronica Roth
Gênero: Literatura Infanto-juvenil 
Editora: Rocco
400 Páginas



Uma escolha, decide quem são seus amigos
Uma escolha.define suas crenças
Uma escolha, determina sua lealdade ... para sempre
Uma escolha, pode te transformar


Sinopse:

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


Minha opinião

Enfim, rendi-me a curiosidade! Apesar de ter lido bastante a respeito desta série, eu demorei um pouco a engrenar na leitura. Mas consegui! 

É uma trilogia distópica, que é o antônimo de utopia, o que quer dizer que controle e opressão se sobressaem na narrativa.

Beatrice/Tris, é a personagem central e, no final do livro, concordo que ela realmente corresponde a descrição de divergente, por parecer controversa em algumas situações. Mas, se pensarmos bem, nós também somos assim ocasionalmente, não é?

Já Quatro, parece assustador no início do livro, mas ao pouco , vamos compreendendo o que o leva a agir desta forma.

Achei complicado no início compreender as divisões pelas facções, justamente por que eu acompanhava a diversidade de sentimentos que Beatrice sente em relação ao modo de vida da sociedade ali descrita ... eu acabava sempre parando para pensar como é que eu reagiria na mesma situação. Mas aos poucos, a vontade de querer saber o resultado das decisões de Beatrice, acabou me envolvendo na narrativa e me fez chegar rapidinho ao final, e concordo com algumas opiniões que li em outras resenhas, de que a ação pra valer, só acontece mesmo no final do livro. 

Senti a falta de uma descrição um pouco mais detalhada sobre o resto do mundo, fora desta "Chicago futurista", por que parece que eles estão em uma bolha, fora do universo, e até pelo fato de já ter visitado a cidade, eu ficava tentando visualizar a realidade do livro, o que só me atrapalhou!

Mas, em um resumo bem resumido [ ;) ] o livro é bom, com uma narrativa fluída e sem muito mimimi. Muita ação e atitudes corajosas! E um bom livro para o público alvo indicado.

Então, se você gosta de literatura infanto-juvenil, como eu, e já passou desta fase há algum tempo, eu só vou dizer, vai fundo e aproveita!

Boa leitura!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário